quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O Falcão Maltês e eu.

Nessa semana,a estátua do filme Falcão Maltês foi arrematada por US$ 3,5milhões em um leilão em NY.
Preço enorme para uma peça que,na história, não valia nada.Mas,como diz o personagem de Bogart, Sam Spade, era feito do material com o qual os sonhos são feitos.
Essa notícia acordou muitas memórias
Filme clássico- perfeito de John Huston,baseado no livro policial de Dashiel Hammet,o melhor de todos.
Não me lembro qual entrou antes na minha vida, o livro ou o filme, mas os dois foram o tecido com que fabriquei muitos sonhos, muitos realizados e outros que continuaram seu destino de serem apenas desejos.Sonhos que foram compartilhados com duas pessoas muito especiais na minha vida.
Uma delas , meu irmão , penso que minha paixão por filmes noir e livros policiais ajudaram a formar sua personalidade curiosa, meio filosófica, muito alternativa e controvertida,às vezes.
Meu irmão será sempre presente, às vezes muito ,às vezes quase desaparecido.
Outra pessoa, amigo mais que querido,amigo mais que inesquecível que foi perdido para que pudesse fazer sua história lá do outro lado do mundo.Não nos encontramos mais, cada um seguiu sua estrada.Ele virou cineasta, ficou famoso,segue realizando seus sonhos bem nutridos pelo cinema e pelos livros.Nossa história foi truncada pela falta de entendimento,pelos encontros desencontrados,por coisas ditas em horas erradas e por aquelas nunca ditas.O falcão maltês pode ser um símbolo desse encontro tanto desejado e, ao mesmo tempo, feito de matéria de sonhos.
Como a estátua do filme que hoje vale tanto, sua lembrança hoje tem valor alto e nenhum preço pode pagá-la.
O Falcão fez com que outros livros do gênero entrassem na minha vida, autores como Raymond Chandler que inspirou muitos outros filmes adoráveis, como À Beira do Abismo com o mesmo Bogart, fazendo o detetive Philip Marlowe....James Cain, Chester Holmes..Walter Mosley com seu diabo que veste azul.
Hammet,Chandler,Spade,Marlowe com seus diálogos cheios de princípios éticos singulares e pessoais..filmes,cenas cheias de luz e sombra,..a grande sala escura que sempre trouxe sonhos e expectativas ...litros de cerveja,balcões de bar, noites insones,irmão,amigo... fazem parte do que sou agora.E isso é muito bom!

Um comentário:

Janice França disse...

Humm adoro sua redação... é sério! \Rs